quarta-feira, 18 de maio de 2011

Deixa que a Chuva te Lave a Alma

Deixa que as lágrimas
Te apurem os sentidos
Guiando os teus passos
Por trilhos perdidos…

Deixa que o luar
Afaste a escuridão
Que te afague a face
Tremente de emoção…

Deixa que a floresta
Te sare as feridas
Mitigando a saudade
Das noites perdidas…

Deixa que a chuva
Te lave a alma inquieta
Dissipando a solidão
Na nudez desperta…

7 comentários:

Menina no Sotão disse...

Deixe tudo lá dentro para que em algum momento aqui fora se entenda e perceba que houve tudo isso na pele. Adorei seu versar.


bacio

Luna disse...

Obrigada pela visita ao meu blog.

O seu é muito bonito, adorei os teus posts!

to te seguindo....=)
Um bju no seu ♥

Nilson Barcelli disse...

Li alguns poemas e gostei. Escreves bem. Parabéns.
Beijinhos.

Desnuda disse...

Querida,

Linda poesia..Lindos versos!

PS:"Tanta imensidão concentrada em mim, complexidade que não se conhece, mas antes se descobre......" Blood Tears.

Em mim...Obrigada.

Beijos com carinho.

Desnuda disse...

Lindo fim de semana amiga. Beijos!

Maria Alves disse...

Muito obrigada, e igualmente :)
Lindo poema!

Beijinho ^^

Janice Adja disse...

Muito bonito este poema.