segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Emoções




Os teus olhos incandescentes consomem-me na escuridão. A inquietude irracional que percorre o meu corpo a cada pensamento, aproxima-se perigosamente...


Segredas-me no silêncio de murmúrios, carícias de ecos perdidos na imensidão dos sonhos que ambicionaste para nós... O teu misterioso silêncio que me invadia e atormentava na expressão do teu singular olhar, na expectactiva do receio... Paralisas-me o raciocínio, serão as emoções que vi espelhadas, arroubos de imaginação?


Sim, deliro... Com o passado que não existiu, com o presente ambíguo e o futuro indefinível...


Afasto-me da falésia com o seu mar vivo e revolto que clama pelo meu nome, e recuo de volta à floresta. O oceano descontrolado é muitas vezes um tumulto sem retorno, enquanto que a fogueira aconchegante que crepita na clareira aguarda o meu regresso...


No entanto o mar continua a atrair-me hipnotizada, e admiro-o de longe.... Desejo mergulhar nas suas águas e ser como uma gaivota livre que paira no céu com as suas asas abertas, cobertas de sal....


Sim, porque há momentos em que ainda é possível recomeçar com um sorriso...


6 comentários:

Marcia Barbieri disse...

O olhar é um ótimo pretexto para recomeçar...ótima prosa poética.

beijos ternos

DarkViolet disse...

O tempo consome o silêncio até arder de insatisfação. quase nenhum lugar consegue preencher a Alma, somente as asas sabem chegar ao coração. Reflexos com escadarias de sorrisos

Roderick disse...

E eu comecarei a vir cá. Gostei bastante do que vi!

acqua disse...

O bom da ausência é a saudade que fica na gente. Seja bem vinda de volta. Abraços meus caríssima

Ruela disse...

Bem-vinda Bloody ;)




bjs.

Cadinho RoCo disse...

Pelas sombras da inspiração eis que desbravamos caminhos ao dizer.
Cadinho RoCo