quarta-feira, 22 de junho de 2011

Imortal



O fogo alastra
Na fúria que queima
Por dentro
Entranha-se imortal
Na avidez
Do querer

As ondas do mar
Não acalmam
O incêndio
Que alastra
Confundindo
Os sentidos

Inocente e frágil
Sorri melancólico
O coração 
Deslumbrado
Pelo seu reflexo
Etéreo

As faúlhas cantam
E dançam
Num ritmo vetusto
E ousado
Envolvendo
Estrelas e mar

Sem saber como
O corpo responde
Ao chamamento
Numa ânsia
Do calor
Prometido

Deleito-me com
A música que 
Acaricia
Mergulho no abismo
Esquecendo
O mundo em redor

Qual o destino dos
Que despertaram
Na magia do viver?

5 comentários:

Desnuda disse...

Querida amiga,

Quem há de saber...Lembrei nos versos finais do mundo mágico, particular e musical de uma filha minha... Que seja um destino feliz. Belo poema.

Beijos com carinho

Leto of the Crows disse...

São múltiplos os destinos, e traçados por cada um.

Beijinhos! ^^

Magia da Inês disse...

✿ • ˚.
L
I
N
D
O
!
✿ ˚ •.
°. ✿ ° °.
● / ✿
/ ▌
/ \ Beijinhos. ✿
˚. ✿ Brasil

Menina no Sotão disse...

Lendo seu versar pensei no silêncio dos lábios e nos dizeres inúmeros do corpo, da alma e dos olhos. Quando as palavras se vão da boca, fica tanto sendo dito pelas nossas alamedas, não é mesmo? rs

bacio e boa semana

Magia da Inês disse...

ჱܓOlá, amiga!
。°✿

Passei para deixar um abraço.
Boa semana!
Beijinhos.
Brasil

✿✿♪

♫° 。✿ ✿ჱܓ