terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Blood Tears

Beijaste distraidamente as tépidas
Lágrimas que jazem agora inertes.
O sangue que fazes reviver,
Ofereço-to nas palavras
Desalmadas que se atropelam,
Tingindo de rubro a tua vida...
Emanas doces sonhos tecendo
A cortina de seda que me envolve,
Respirando cada chama, na alma que
Sobrevive suspensa do teu olhar...


1 comentário:

Leto of the Crows disse...

As palavras conseguem fazer o impossível com os sentimentos e a alma...