sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Curvas Coloridas

Curvas sucedem-se sem se questionar porquê, rectas que se dobram transformando-se em esferas que jamais retornarão à origem. As formas sólidas emergentes, são memórias de movimentos esquecidos, pruridos nas deambulações sincopadas que jorram da vontade mutante.

As cores nascem do teu movimento, contagiadas pelo nada efervescente que surge da fusão do arco-íris. Assim nasces tu, do nada que brota flamejante do meu coração palpitante e sedento de emoções.

Apagaste as rectas da minha existência e curvaste a minha essência num eterno descobrir, coloriste o passado espelhado nos meus olhos num renascimento tardio de certezas.

Conjugaste o múltiplo despertar no verbo eterno do sentir. Do meu sentir.

16 comentários:

acqua disse...

Causou-me um doce e prazeroso arrepio na pele e um sorriso singular na face. Que deliciosa sensação essa de voar sem asas ter. E para que asas? Abraços meus...

bat_trash disse...

"É na visão que o objeto e o pensamento se encontram. É o portal de pérolas, entre o sol e a mente. O olho humano é um espelho, onde o espaço criativo da consciência divina se encontra consigo mesmo no espaço criado do lado de fora".(Jostein Gaarder).
Ilusão em luz e cor, desconstrói as formas: tudo é provisório...e como dizia Vinícius de Moraes, eterno enquanto dura...o sentir é transitório e reciclável...ainda bem!Somos os somatório de tudo que a vida nos oferta: cheiros, cores, dores, odores e da incensante permuta com o outro, que sempre é um divisor de águas.

Bat Kiss.

Bat Kiss.

DarkViolet disse...

Rectas que são curvas, curvas que são projecções, projecções que são vertigens..uniões

Marcia Barbieri disse...

Lindo,um esvoaçar de emoções singelas.Um amor verdadeiro que colore a vida e o mundo.

beijos ternos

Blood Tears disse...

Acqua, voar sem ter asas é uma das maravilhosas capacidades que temos... :)

Bat,sim tudo é mutável, e o que está em nosso redor impregna-nos de vida latente por descobrir... :)

darkviolet, uniões que se estendem e retraem num movimento contínuo.... Opostos que se atraem e transformam...

Marcia, o amor dás empre cor a tudo. A cor que transmite depende da sua essência, mas não há amores a preto e branco... :)

Blood Kisses

akasha disse...

Prosa poética em cores e formas na profusão do sentir. :)

anjobaldio disse...

Muito bom. Um grande abraço.

Post-It disse...

:))

Ruela disse...

"À Carga!!!!"



bjs.

Lord of Erewhon disse...

A cor do nada... a não-cor que devassa o mundo.

Dark kiss.

Oliver Pickwick disse...

Este eu li e comentei no Bar.
Um beijo!

Oliver Pickwick disse...

P.S.: Ops... segui o óbvio e errei de lugar. Este comentário refere-se ao post da capa. ;)

Oliver Pickwick disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oliver Pickwick disse...

Sobre Curvas Coloridas:

A única volta à origem garantida é a do pó.
Com estes versos, reinventaste o sentir.
Um beijo!

P.S.: New wave + heavy metal + progressivo, juntos. Trilha sonora muito além do sentir.

P.S1.: Passei para conhecer as terras da colega d'O Bar do Ossian.

Silent Raven disse...

Poderosíssimo e profundo... Adorei.

Blood Tears disse...

Akasha, A profusão do sentir espelhada na profundidade do olhar multicolor... ;)

Anjo Baldio, obrigada, Um abraço de volta também!

post-it, :))

Ruela, Sempre prontos defrontar novas batalhas... ;)

Lord, Com as tuas palavras dás vida ao nada.... ;)

Oliver, Um beijo de volta, obrigada pela visita!

Silent Raven, a profundidade advém também dos olhos do leitor! Bem Vinda!

Blood Kisses