sábado, 6 de setembro de 2008

Futuro Incerto




Divago nas horas perdidas
Rumo a um futuro incerto,
Todas as possibilidades em aberto
À espera de serem vividas.

Coloco questões proibidas
Às esfinges do deserto:
Está a felicidade longe ou perto?
Debato-me com memórias esquecidas...

Não pertenço a este lugar,
Para te encontrar vou-me perder,
Melopeias loucas ecoam no ar

Aguardam o despertar do teu ser.
A viagem está prestes a iniciar
E ainda não aprendeste a viver...

7 comentários:

biazinha disse...

O futuro é sempre incerto, mesmo quando parece previsível,

Beijos.

Valquíria disse...

Foi por acaso que tropecei no optimismo lacónico das tuas palavras. Uma luz ao fundo do túnel que se me apaga constantemente...
Gostei.

Beijos.

Paradoxos disse...

Olá também mora aqui a minha amiga poematógrafa Biazinha, então este blog só pode ser dos bons!
:-)

Leto of the Crows disse...

"Para te encontrar vou-me perder":
Por vezes é a melhor forma de encontrarmos algo perdido, perdendo-nos também. Talvez esse "algo" decida também procurar-nos ^^

E verdade seja dita, duvido que as esfinges conheçam os infinitos enigmas que nos rodeiam. Talvez esse seja um dos desconhecidos, ou esquecidos pelo tempo.

Um beijinho!

Blood Tears disse...

biazinha:
:) Sim, o futuro é um grande ponto de interrogação... :)

valquíria:
as luzes ao fundo do túnel são a esperança que me faz avançar....

Paradoxos:
Obrigada, vindo de alguém que escreve tão bem, é um baita elogio, lol

leto of the crows:
Eu tive mesmo que me perder para me reencontrar, e valeu a pena!!!

Blood Kisses e obrigada a todos pela passagem... :)

Twlwyth disse...

Uma oportunidade para renascer. Adoro a imagem.

(não me aparece o sítio onde comentar o teu último post)

Beijo

Blood Tears disse...

Obrigada twlwyth, :) Eu adoro a fénix exactamenteporque renasce das cinzas....

Beijos