sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Outono




A temperatura desceu. As manhãs acordam preguiçosamente, e o ritmo alucinante do dia-a-dia volta ao normal. As árvores foram gradualmente perdendo o tom verdejante, e as folhas receberam as pinceladas coloridas em tons de laranja e vermelho.


Eu adoro o Outono, mais talvez, do que qualquer outra estação. Não sei se por me aliciar convidativamente à introspecção, se por me proporcionar frequentemente ficar deitada a repousar entre braços aconchegantes, a ouvir as gotas de chuva que compõem bailado e sinfonia no telhado.


Antecipo o prazer de ficar placidamente enroscada no sofá, como uma gata siamesa, e saborear o mergulho na história de um bom livro. Ou o divagar por entre geniais criações alheias de palavras magicamente articuladas, e deixar-me imbuir com as várias interpretações do seu significado.


Talvez por isto e por tudo o que não consigo exprimir, esta seja uma estação que me aquece por dentro em contraste com o tempo que arrefece lá fora. Ao despertar nesta manhã cinzenta, sobressaio pelo vermelho que me incendeia, e a minha aura resplandece para ti.


Recordo com nostalgia os dias de sol à beira mar, e, dando-te a mão, caminhamos juntos nesta álea de tons quentes, em direcção a um amanhã instável e incerto, mas sorridente e esperançoso. Abraça-me. Porque a felicidade é construída a partir de todos estes pequenos momentos teus e meus. E eu já parti em busca dela.....

14 comentários:

Plum disse...

Adoro as cores do outono!e aquele ambiente nostálgico e por vezes até melancólico!***

acqua disse...

Eu adoro as cores do outono, as sensações e as muitas inspirações que me abraçam nessa estação. As vezes, quando ando pelas ruas das outras estações, fico com a sensação de que o outono não foi embora ao ver folhas sendo levadas pelo vento.
O outono tem disso: me faz voar por aí. Abraços meus

biazinha disse...

Blood:
Conseguiste pintar o outono em prosa lírica : outono externo e interno.

Dedico a ti esse poemeto:
Outono
As folhas caem
E eu desmorono.


Beijos.

Blood Tears disse...

plum, a melncolia preenche-nos e é uma sensação tão reconfortante, por vezes... :)

acqua, o voar e planar nas folhas que percorrem o firmamento sempre foi agradável... :)

biazinha, awwwwwww, que querida.... Sim parte de nós mesmas desmorona nesta estação do ano, para se reconstruir novamente no eterno ciclo da via! :)

Blood Kisses

pianistaboxeador21 disse...

Comentei nos post de baixo. Desculpe, enganei-me.

Beijos

mariazinha disse...

Finalmente consegui tempo para te visitar! :)

Sabes? Gosto muito do outono.

Beijos**

Carmello Café disse...

Querida Co-Sanguínea, acabei de escrever uma coisa (que saiu sei lá de qual lado escuro meu) lá no blog de nossa amiga Diabiazinha; ao terminar logo pensei em você. Ao chegar aqui acabei me espantando com seus versos, veja só:

É a última noite do verão e lá fora as estrelas sorriem e nos pedem promessas, enquanto a lua em foice se esconde por trás das árvores do morro. Os pios e rumores noturnos não trazem aconchego, e o vago brilho de fogueiras, cantos e danças distantes trazem à mente as Mênades e seu clamor. Vou me retirar, me afogar no vinho e no colo da minha amada.

Não achei a caixa de comentários da última postagem (Imortal).

Um excelente início de Outono (é quando o céu fica mais bonito, não?) e beijos O+.
Até!

Blood Tears disse...

Oi Daniel, obrigada pela visita, lol, como os comentários neste template estão antes do post, é normalíssimo... :)

mariazinha, então temos mais algo em comum... ;) Obrigada pelo teu tempinho, que deve ser bem ocupado, lol

Carmello, obrigada pela lembrança! lol realmente, mentes geniais pensam de forma idêntica, nem de propósito algo similar ao que tinha escrito.... Hum..... e se fôr um bom vinho tinto, não em afogo, mas antes deleito-me a saboreá-lo... ;)

Blood Kisses

ImpossiblePrince disse...

Parabéns pelo poema lindíssimo. Também adoro as cores desta estação. Mas confesso que há uma melancolia nela, um certo ar de despedida que me inquieta.

Beijos*

Magykeiser disse...

Se todos os outonos fossem assim... =)

Carmello Café disse...

Querida Co-Sanguínea, o vinho era tinto, um espanhol especialíssimo, delícia.
Acabei de fazer uma nova postagem e nela citei seu texto "Histórias pra Contar", conforme eu isse que faria.
Aguardo sua visita.
Beijos.

Blood Tears disse...

impossible prince, hum... o outono é sempre uma despedida do calor do verão, e para mim, tem também o significado do recolhimento interior e da reflexão. A altura em que nos despimos de ideias velhas, assim como as árvores largam as suas folhas... Ficamos nus, às intempéries da vida, assim como as árvores, às intempéries do Inverno... Mas há sempre o renascer na Primavera, num eterno ciclo... :)

magykeiser, nem todos os Outonos são assim, também eu gostava que fossem.... Então desenho-os aconchegadoramente na minha mente... :)

carmello, :D passarei lá de ecrteza, provavelmente à noite, lol, o meu tempo tem sido demasiado curto para tudo o que desejava fazer, mas penso que isso é mal comum... :)

Blood Kisses

MagnetikMoon disse...

A alegria das cores e o meta-derramar de suaves cadências naturais faz-me sorrir neste sereno e importante assinalar,são primaveras diferentes, aprazíveis:))

Magnetikiss

Blood Tears disse...

As cadências naturais são as mais ousadas num profundo despertar de sentidos...

Blood Kisses