domingo, 21 de setembro de 2008

Imortal




Perco-me em devaneios estrelados
Límpidos como o reflexo do mar
Surgem na alvorada momentos rasgados
Que se libertam para não mais voltar

Palavras encadeadas pelo vento
Envolvem o coração em calor
Dores suspiradas ao longo do tempo
Navegam sem destino e sem temor

Soltam-se as vontades e as heresias
Baco e as Musas inspiram os poetas
Unem-se destinos e fantasias
Dando origem a portas entreabertas

A pureza ofusca o firmamento
Formando a aurora boreal
Procuramos em nós o momento
Que tornou o humano imortal

8 comentários:

andorinha disse...

Para já venho agradecer-te a visita ao meu ninho.:)
Gostei do que li por aqui e prometo voltar com mais tempo para saborear e comentar.

Beijinhos.

Blood Tears disse...

Obrigada pela visita e por tão gentis palavras... :) Fui dar ao seu blog através da biazinha, e gostei muito também...

Beijinhos

Marcia Barbieri disse...

Lindo poema e imagens sempre perfetas... aurora boreal...

beijos

biazinha disse...

A poesia pode tornar o humano imortal...:)
Tens muito bom gosto para comcilar imagens e palavras.

Beijos.

Blood Tears disse...

marcia, apesar de ser explicado cientificamente, o fenómeno da aurora boreals empre me fascinou... :) Pena não viver numa zona do globo em que dê para ver...

biazinha, a poesia assim como a escrita, são as impressões que deixamos e partilhamos com os outros após a nossa estadia... São o nosso cunho imortal... :)

Blood Kisses

Vertigo disse...

Eu já desisti de tentar escrever em poesia..não consigo.há quem tem jeito,como tu,e há as desajeitadas,como eu :)

Lindo!

Um beijo

MagnetikMoon disse...

Terna aurora boreal, intrigante espelho de sonhos...

Magnetikiss

Blood Tears disse...

vertigo, tu escreves muito bem, e para mim é um prazer ler-te.... :) Eu não escrevo bem, lol, mas há coisas que até voam.... Estados de ALma... :)

magnetikmoon, a miríade de cores indifusas despertam os sonhos.... :)

Blood Kisses